Contrastes

26 dez

menina.jpg 

Como eu havia comentado aqui com vocês esse ano eu fiz meu trabalho de caridade no Natal, distribuindo presentes para as crianças carentes com a ajuda de amigos, e claro, do Serviço Social d prefeitura, que me deixou ir com eles nas visitas às famílias necessitadas. Uma delas em particular me deixou tocado pela pobreza extrema em que vivem, é a família do Sr. Tiburcino (Cacah, me desculpe se não acertei na escrita), que junto de sua esposa tentam dar uma vida melhor aos seus 11 filhos. Quando chegamos no local fomos recepcionados pelo Sr. Tiburcino e sua esposa, debaixo de muita chuva; não imaginei que seria tão difícil o acesso ao bairro assim como a casa, que era na base de um barranco enlameado que quase nos fez cair. Ao entrar na casa simples de 2 cômodos da família não esperava ver tantas crianças num local tão pequeno, sem energia ou mesmo água. Levamos pra eles uma ceia de natal, um bolo e os presentes pras crianças, algumas acharam que os embrulhos eram os brinquedos, e não o que estava dentro, estavam muito retraídas nos cantos e quase não falavam, enfim, a coisa como um todo cortava nossos corações, mas pelo menos sabemos que pudemos dar um natal um pouco melhor ao menos pra uma família.

Mas a questão principal desse post foi quando percebi o contraste gritante que existe hoje na sociedade, e o quão enorme, se não maior, é o nosso descaso com isso. Grande parte das vezes nós realmente não nos damos conta disso, principalmente pelo fato de não conhecermos o outro lado da moeda. Na noite desse mesmo dia reunimos toda a família em casa para comemorar o Natal, com o salão arrumado com capricho e os melhores pratos tradicionais na mesa, muita bebida e uma árvore repleta de enfeites e presentes, e foi em dado momento que me toquei desse contraste, pois estava em casa, com muita comida, bebida e felicidade enquanto alguns mau tinham um frango com arroz pra comer. Isso doeu mesmo, mas pelo menos nós da minha família sempre ajudamos da forma como podemos, ao menos eu e meu tio Ademir fizemos bastante coisa, ele por ser um político influente conseguiu boas doações e levou aos bairros pobres o parque inflável dele, e eu e meus amigos com os presentes e a ceia.

 Sinto que fizemos muito bem à essas pessoas, mesmo que sendo pouco, mas é o que está ao nosso alcance.

Colaboraram nesse dia, além de mim, minha grande amiga Cacah, meu amor do “Inconstantemente Falando” Fafah, a assistente social Lucimar, o futuro Juíz Miguel e o motorista do Kangoo que não me lembro o nome agora. 

 Feliz 2008 pra todo mundo!

 Fui….

Anúncios

Uma resposta to “Contrastes”

  1. inconstantemente dezembro 26, 2007 às 23:17 #

    O pouco que fizemos foi muito para aquelas famílias, e enquanto isso tanta gente reclamando que não ganhou o que queria no Natal, antes de reclamar pensem: “muita gente não ganhou nada”!

    Sempre que puderem colaborar com a felicidade dos menos favorecidos, façam! Sigam nosso exemplo simples mas de coração!

    Amo-te irmão! Cabe o mundo todo nesse coração imenso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: