Arquivo | Sem-categoria RSS feed for this section

Pensando nessa tal de vida

17 mar

 

Como se mede o nível de fracasso de uma pessoa? Será pela quantia que se tem no banco? Pelas posses, ou a falta delas? Talvez até pelos “amigos” que possui, talvez não.

Uma coisa posso dizer com certeza, depende do tipo de fracasso que estamos falando. Eu me considero um vencedor em vários aspectos, como um batalhador que conseguiu fazer uma faculdade, mesmo com tudo contra. Um cara que estudou e trabalhou ao mesmo tempo, enquanto a maioria dos colegas de curso não precisava. Um cara que hoje tem  31 anos, 15 deles com carteira assinada em algumas empresas, e numa delas eu consegui ganhar um bom dinheiro. Mas isso foi em 2003, passou.

Quando eu decidi me mudar de Angra pra estudar não imaginei que a vida fosse ser um mar de rosas, claro que não, mas também não poderia imaginar que fosse ser tão complicada. Por um bom tempo morei sozinho, num apartamento alugado, mas a falta de um bom emprego e regularidade de pagamento não me deixaram ficar dessa forma por muito tempo, e fui obrigado a morar de favor na casa de parentes, meu avós. Os amo incondicionalmente, mas se eu pudesse escolher eu NUNCA iria morar com eles.

Todos dizem que lidar com pessoas idosas é complicado e tal, isso depende, vai de acordo com quem se está lidando. Conheço, tanto na família quanto fora dela, pessoas mais idosas que são fantásticas! Parecem ser mais novos do que eu, eternas crianças, enquanto aqui em casa a situação é outra. São, aliás, eram, meu avô se foi ano passado, pessoas complicadíssimas! Cheios de manias intransponíveis, rixas, brigavam o tempo todo, e eu sempre levava. O pior pra mim era ser chamado de vagabundo por estar sem trabalho fixo, eu trabalhava em casa, com freelancer, mas pra eles isso era vadiar. Certo dia minha avó me disse que eu devo ter algum problema sério, porque além de nunca parar com mulher nenhuma eu não conseguia parar em emprego nenhum, e que esse problema com certeza era eu. Como se hoje em dia pudéssemos realmente escolher nossos empregos assim. Hoje chegou a conta de energia, com medição errada, fato! A média é sempre de 100 reais, e a desse mês veio 170 reais. De quem é a culpa pelo aumento? Nem preciso dizer né! Instalei um reator de fusão de prótons no meu quarto e não to sabendo, e o pior, deve ser 110 v!

O fato de ter que viver dependendo de outras pessoas é péssimo, a não ser quando a pessoa procura isso. Eu odeio! Me sinto um nada quando paro pra refletir sobre a minha vida e os caminhos que ela tomou. O sucesso já deve ter passado na minha frente e eu não vi, e hoje, com trinta e um anos não vejo muito futuro pra mim. Pode parecer exagero à quem vê de fora, mas pra mim, no meu íntimo, é o que eu acho. Vou acabar vivendo de subempregos o resto da vida. Até nisso eu tenho levado tombo. Meu último emprego foi numa agência de publicidade, primeira experiência na área depois de formado. Adorava trabalhar lá, fazia a parte de criação, que é o que escolhi na profissão, até que um dia, quatro meses depois, fui demitido. Os motivos que o ex patrão relatou tinham fundamentos sim, mas tenho certeza de que tem mais coisa debaixo desse tapete, mas isso não vem ao caso. Num momento assim sempre temos a quem nos apoiar, como os pais, irmão e amigos VERDADEIROS. Em casa tive o apoio de todos, e críticas de alguns, silenciosas na maior parte do tempo, mas quem entende um mínimo de convivência com o ser humano sabe ler um texto inteiro só de olhar pro rosto de alguém.

Anúncios

Puta falta de sacanagem hein São Pedro!!!

3 jan

Pra quem viajou pra praia no fim de ano como eu só rolou decepção! Peguei dois dias de sol no Rio e o resto só chuva!

Saca nas fotos de baixo como estava no Rio e como está AGORA em Volta Redonda!

A bela praia de Copacabana no dia 30/12

Volta Redonda na tarde do dia 03/01

Puta falta de sacanagem hein!

Réveillon em Copacabana, pura ilusão

3 jan

Acho que todo brasileiro já pensou em curtir sua virada de ano no Rio de Janeiro, mais precisamente na praia de Copacabana. Um momento que pra muitos é um sonho, às vezes distante, por morar em outros estados ou até mesmo em outros países. Pra mim que moro muito perto da capital do estado é fácil, cerca de duas horas me separam do cartão postal mais famoso do Brasil.

Durante toda a minha vida o meu destino de fim de ano foi Angra dos Reis, cidade onde cresci e onde estão minha família e amigos, mas nesse finalzinho de 2011 resolvi ir pro Rio com um grande grupo de amigos da época de faculdade e trabalho. Tudo acertado seguimos para lá. A maioria ficou em Copacabana mesmo, no apartamento de um dos amigos que já mora lá, e eu e mais um fomos pra Botafogo, onde é o apartamento da minha irmã, que estava vazio.

Nos dias anteriores ao grande momento havia sol, praia, curtição. Fomos à Lapa, uma das melhores opções de diversão noturna pra quem está com a grana curta, e curtimos muito! Mas, infelizmente, o tempo não ajudou e chuva caiu, inevitavelmente. E sem parar! Já era a Lapa, o Jardim Botânico, Cristo ou qualquer outro ponto turístico da cidade. O Rio Sul e os bares dos postos de gasolina perto de casa se tornaram nossos pontos de encontro.

O dia 31 estava mais próximo, e foi então que resolvi ir ao Rio Sul pra comprar as entradas para o réveillon do Costa Brava, no Juá, local pra onde iria toda a galera. Festa de elite total, o problema é que quando chegamos à loja o valor tinha pulado de 350,00 para 450,00! Claro que não paguei, afinal, seriam duas entradas. Nos restou o tão falado réveillon na praia de Copacabana… e foi aí que o martírio começou!

Às 20hs já estávamos prontos pra sair, e a chuva não parava! Imaginem só, todo mundo vestido de branco, perfumado e pronto pra mulherada e a porcaria da chuva não dava trégua! Saímos do apartamento caminhando, já que ônibus e metrô estavam impraticáveis, além do fato de morar na Rua Gal. Severiano, do lado do Plaza Shopping e do túnel de acesso à Copa. A ida já foi tensa, as ruas lotadas, trânsito totalmente parado e muita sujeita pelo caminho, o que só contribuiu pra sujar ainda mais nossas roupas. Paramos no posto perto de casa pra comprar mais cerveja e seguimos pelo túnel.

Finalmente a praia, que beleza não! É, não mesmo! O lugar estava um inferno de tão cheio, as ruas pareciam rios de gente, fluindo o tempo todo em direção à orla! Paramos numa tenda pra comprar mais cerveja e tivemos nossa primeira surpresa, R$7,00 POR UMA LATA DE ANTÁRCTICA!!!! Se ao menos fosse uma Bhrama eu até pagava. Dali seguimos pra areia e tentar arrumar um lugar pra ficar à beira-mar. Levamos quase 20 minutos pra atravessar a faixa de areia, SEM SACANAGEM! Não existia espaço, fora que a beira do mar era um mictório a céu aberto! Sem chance de passar a virada de ano com milhares de pintos e cheiro de urina do lado da gente né!

Eu estava ali no meio!

Sendo assim subimos de volta em direção à Av. Atlântica, mais 20 minutos de obstáculos, e a chuva não dava trégua. Neste momento nossas roupas já estavam completamente enxarcadas, o dinheiro no bolso quase se desfazia de tão molhado. Logo que chegamos no asfalto o telefone de um dos amigos toca (maluco de ter levado o iPhone e o Blackberry pra lá), era a namorada pedindo pra encontrar com ele ATRÁS DO COPACABANA PALACE!!!! Quem em sã consciência usa esse lugar como ponto de encontro??? Metade do planeta está exatamente ali! Enfim, seguimos contra a correnteza humana, e foi aí que começou a pior parte da noite. Além da chuva forte que teimava em cair sem parar, fomos sendo esmagados caminho afora! Em muitos momentos a multidão estacava e o resultado era o esmagamento. Por vezes senti mãos dentro dos meus bolsos, ainda bem que não levei nada, nem documentos. Quando paramos ao lado de uma van vimos uma cena que ainda não saiu da minha cabeça, uma família (de imbecis) tentava também subir em direção à Av. Nossa Srª de Copacabana com duas crianças de colo, aparentavam ter menos de 1 ano! Onde já se viu levar bebês pra esses locais, sem segurança, os deixando na chuva, com frio e chorando!

Depois de muito esforço e muitas pisadas nos pés conseguimos chegar. Aproveitei pra comer um milho verde, que é o que tinha na hora, e compramos mais algumas cervejas. Depois de uns 20 minutos a garota aparece e nos faz andar uns 2 quarteirões até outra rua paralela pra encontrar o resto dos seus amigos. Como a meia noite se aproximava e o povo não se mexia eu e meu amigo resolvemos sair dali e ir em direção à praia.

Já na Av. Atlântica mais uma vez meu camarada precisava desesperadamente de um banheiro, ele tem problema nos rins e não pode segurar muito tempo. Incrivelmente não havia nenhum banheiro químico nas proximidades, apenas dentro das áreas delimitadas para os ditos “VIPS” e para os funcionários da prefeitura. Pedimos pra várias pessoas para que ele pudesse usar, mas em vão. Não teve jeito, ele se aliviou atrás de uma ambulância mesmo!

Por fim, cansados de andar, com frio pela chuva forte e o vento resolvemos parar no canteiro central da pista na altura do posto 4. Ficamos debaixo de uma árvore aguardando o tão esperado momento. Enquanto esperávamos torcemos nossas camisas pela segunda vez!

Finalmente começamos a escutar a contagem regressiva pelos auto-falantes da praia, e no zero acabamos de boca aberta com o único momento realmente válido daquela noite. A queima de fogos foi a mais espetacular que eu já vi na vida! Foram quase 20 minutos de espetáculo, muito bem sincronizado e desenvolvido. Chorei, é claro, lembrando de tantos momentos bons, ótimos e também os ruins de 2011. Agradeci à Deus pela vida e pela família.

Ao término do show de fogos a certeza não era outra, DIRETO PRA CASA! Show do David Guetta? Nem pensar! Seguimos andando junto ao fluxo de pessoas em direção ao túnel, e pela primeira vez eu vi o trânsito completamente parado entre Copacabana e Botafogo. Atravessar o túnel foi tranqüilo, e engraçado em alguns momentos. Muita gente bêbada, se arrastando pelas paredes, caídas no chão, apoiadas em ônibus…. coisa feia de se ver, mas engraçado! Quando passamos do Rio Sul aproveitamos pra ir no posto comer um sanduíche e comprar mais cerveja, dali viramos a esquina e entramos em casa. Só aí percebi o quanto estávamos sujos! O jeito foi tomar um belo banho, ligar o ar condicionado e dormir, o melhor momento da noite de réveillon!

Virada de ano em Copacabana? NUNCA MAIS!!!! Junte uma grana e compre uma entrada pra qualquer clube da alta, pro jóquei, ou até mesmo pros quiosques da orla, mas nunca, NUNCA na sua vida enfrente a multidão alucinada na praia. Tenho certeza de que não será agradável!

“E teje dito”

A Juventude transviada, a inocência perdida

7 jul

“Ah, ta criticando os coloridos, vai falar mal deles, vocês tem inveja do sucesso deles, mimimi”

Primeiro, se você vai falar que eu tenho inveja deles vá tomar no cu.

Não, eu não tenho inveja deles, porque eles são uns coliformes fecais.

Segundo, sim, é um assunto que todo mundo já usou, mas anyway…
E se você é seguidor desses viadinhos coloridos, sugiro que não leia e vá até o site da Xuxa.

A música de hoje em dia está um lixo. É puro mimimi de “eu te amo, você me ama”. Provavelmente essas crianças tiram inspiração vendo Barney no Discovery Kids.

Voltando no tempo, ouvindo Legião UrbanaCazuzaTitãs, com letras que desafiavam um governo em plena época de ditadura militar, adolescentes que decidiram usar a música como uma forma de serem ouvidos pelas massas, pra mudar o país em que viviam.

Hoje em dia as letras são fúteis. Nada mais nada menos que fúteis. Ou é o simples “eu te amo e vamos ser felizes pra sempre” ou “você não me quis e agora eu não quero você”.
Eis que muitos pensam: “afe, mas tipo, o que você ta falando tem nexo zero saca? Hoje em dia o Brasil não tem mais ditadura né bobão?”

Ah claro, hoje em dia o Brasil virou o país perfeito, sem violência, corrupção, abuso de poder ou outra coisa do gênero.

“Ah, mas restart é melhor, por isso tem mais espaço na mídia”.

Será? Por que será que a mídia prefere apoiar bandas que fazem os adolescentes se contentarem em se manifestar pela internet, que não tem um mínimo de crítica social e que acham bonito andar que nem um pavão, ao invés de apoiar bandas idealistas que influenciam o jovem a tomar uma atitude e sair as ruas para protestar? A pergunta fala por si só.
Um pequeno adendo:
Esses viados não cantam bem. É só ouvir 5 segundos da música que você percebe a edição da voz.
Ainda deixo uma proposta pra vocês: Vão no Vagalume, Letras Terra, sei la e leiam as letras do Cazuza, Renato Russo…não precisam nem ouvir, só ler. E depois comparem com as letras de Restart, Cine e essas coisas.

E outra: Já notaram quantos rapazes viraram gays de um tempo pra cá? Gay não, é outra coisa,viadinho.
Pode parecer que não, mas existe um graaande diferença entre “gay”“viadinho”.

Gay: É o cara que gosta de homens, se veste normalmente, e com respeito.

Viadinho: É o que adooooooga uma pigoca gigante e se veste como se estivesse no carnaval.

Deu pra entender?

Só pra constar, aqui não tem NENHUM tipo preconceito contra homossexuais. Quantos gays entraram pra história sem precisar fazer essas frescurinhas que os adolescentes fazem?

Pensem à respeito.

Sim, é o que eu acho, e defendo isso de corpo e alma.

E viva Freddie MercuryCazuzaRenato RussoRob HalfordCassia Eller e outros tantos nomes.

Kibado daqui

Como morar num mini apê, mas com classe.

5 jul

Um dos grandes problemas das grandes cidade é o espaço. Cada vez mais vemos pouquíssimas ofertas de apartamentos e casas, o que acaba por nos obrigar a ficar com aquele conjugado / kitinete / sala e banheiro dos prédios mais antigos que a Arca de Noé. Conheço muita gente nessa situação, o que o diga meu amigo @felipemx, que se mudou pro Rio há pouco tempo e mora num dedal! Eis então que um homem chamado Ron Barth, presidente da Resource Furniture, uma empresa de móveis que primam por design e funcionalidade, apresenta sua nova linha de produtos, a Space Savers. Fiquei de boca aberta com a simplicidade e funcionalidade dos produtos. Móveis, que, além de lindos, fazem qualquer apartamento tampa de garrafa se tornar um local habitável com conforto.

Pequeno né? O do Mx é menor!

Ano que vem eu vou ter que passar pela difícil batalha de se conseguir um apartamento habitável no Rio. E como vou acabar caindo num desses mini micros pros lados de Copacabana ou Botafogo é bem capaz de contratar um marceneiro pra fazer uns modelos desses aí pra mim.

Assistam ao video e vejam por si mesmos. Se interessar, segue o link do site da empresa, que tem cede em New York.

aPad – E a China continua na arte da cópia

21 jun

Estava conversando com meu amigo @felipemx sobre comprar o Motorola Milestone ou um desses shingling cheio de funções. Eis que recebo um email do Mx com alguns modelos que ele encontrou na net para que eu desse a minha opinião, afinal, sou um “feliz” proprietário de um genuíno hiPhone.

Bom, no meio dos links tinha um pra um ePad! É isso mesmo, “e”Pad, primo de olhos puxados do novo supra sumo da Apple, o iPad.

Vendo isso fui em busca de informações sobre o aparelho, e percebi que o bicho é bom rapaz! É claro que nem se aproxima do original, mas tem tudo aquilo que é necessário pra se ter uma boa usabilidade. Possiu Wi-fi, slot pra cartões de memória, já vem com 2gb. Só peca mesmo em não ter entradas usb, mas isso foi facilmente resolvido com um adaptador, que plugado na saída (quase igual a da Apple) fornece duas conexões usb além de uma ethernet! Ou seja, quando não estiver num local com wi-fi você pode simplesmente plugar o cabo de conexão de banda larga.

E claro, ao contrário da Apple, eles colocaram uma camera (VGA) no aparelho que serve ainda como webcam para video conversas pelo Skype, Msn e outros programas de mensagens. Além disso ele pode reproduzir os já conhecidos arquivos 3gp e até mesmo RMVB, facilitando a vida de quem gosta de curtir um video fora de casa pois não precisa de conversão.

O doído é ver o aparelho custar 100 doletas em média no exterior e aqui no Brasil chegar a exorbitantes 1000 reais. Mesmo com taxas de importação, custos de transporte e lucro o valor final poderia ser bem menos, mas já é de conhecimento público que o brasileiro gosta de levar vantagem em qualquer coisa. Eu mesmo prefiro comprar muitas coisas em sites chineses e esperar quase um mês pra receber do que pagar até 6 vezes mais nas lojas aqui no Brasil.

Videozinho em japonês (ou qualquer outro idioma daqueles cantos) com o aparelho em funcionamento.

Segue uma lista com as expecificações completas do aparelho:

Processador : CPU400 450Mhz
Tela: 7″ touch screen resistiva
Resolução: 800X480 /16:9
Memoria ram: 256MB DDR2
Memória Interna: 2GB
Peso: 370g
Dimensões: 200X127X16mm
Webcam: 0.3 megapixels
Sistema Operacional: Android 1.6
Slots para Cartão de memória: SD/SDHC/MMC compatible
Adaptadores de rede: IEEE802.11b/g (wireless LAN ), RJ45 ( através do adaptador)
Online video playback
Download de Aplicativos Android
Skype / Google Talk
Cliente de E-mail
Formato de Imagens suportados : JPG/BMP/GIF/PNG
Formato de Audios suportados: MP3/WMA/APE/FLA/OGG/AC3
Formato de Videos suportados: MP4/FLV/H.263/H.264/RMBV
Interface: USB 2.0 /USB 2.0 dispositivo ( através do adaptador), saída para Microfone
Idiomas: Arabic(Egype), Arabic (Israel), Blugarian, Catalan, Croatian, Czech, Danish, Duth, English, French, Finnish, Spanish, German, Greek, Hebrew, Hindi, Hungarian, Indonesian, Italian, Japanese, Korean, Latvian, Lithuanian, Norwegian Bokmal, Polish, Portuguese, Romanian, Russian, Serbian, Slovak, Slovenian, Swedish, Tagalog, Thai, Turkish, Ukrainian, Vietnamese, Chinese
Acessorios: Bateria (2400mAH), Adaptador de Força, Adaptador USB, cabo USB e manual de usuário

aqui.

Menos um vício

12 jun

Fala povo!

Passando pra dizer que consegui me livrar de um grande vício que eu tinha, vício esse que me fazia muito mal, a mim e à todos que estavam ao meu lado, que era o cigarro.

Esse era o meu "companheiro" diário.

Finalmente tomei vergonha na cara e procurei ajuda profissional. Entrei num programa de combate ao tabagismo realizado pelo SUS aqui da minha cidade. Fui meio desacreditado, fumando quase dois maços por dia, mas os profissionais que nos acompanham tiveram sucesso, ao menos comigo.

Agora é continuar sem fumar e viver com mais saúde.