Arquivo | Série Gente RSS feed for this section

Paz pra quem se vai…

6 jan

Dessa vez venho aqui pra deixar uma pequena e singela homenagem aos meus conterrâneos de Angra que se foram e sempre irão deixar muitas saudades no coração de quem fica….

Uma dessas pessoas é a Yumi, que mesmo conhecendo pouco sempre será lembrada pela família e os amigos mais íntimos, que no meu caso são os em comum…

Navegando pelo Orkut hoje me deparei com o perfil da Yumi, e uma pequena linha de texto me chamou a atenção… reparem bem na ironia da vida, back to the coast, infelizmente para sempre…. na costa cresceu, viveu e adormeceu.

À todos os 50 irmãos que perderam suas vidas em nossa bela Angra fica aqui um singelo gesto de carinho. Nosso Reveilon ficou triste sem vocês… vão em paz!

Anúncios

Uma curtinha sobre signos

28 fev

map

E lá estava eu navegando sem rumo pela internet, cerveja dum lado, cigarro do outro, de cara no notebook com meu primo pentelho me torrando no MSN. Eis que abro minha caixa de email e encontro um da minha amiga blogueira Tititi, avisando que ela tinha postado um comentário no post abaixo.

Enfim, sei que entrei no blog dela pra ler e agradecer pelo post, quando olho pra sua lista de blogs. Um deles em particular me chamou a atenção, o “A Vida Não Presta Mesmo” (porque será que fui logo nesse?). Entrei e comecei a ler os posts da dita cuja, Lily, e eis que me deparo com um post sobre astrologia, cosmos, ascendentes em Plutão, coisa e tal… não dou muita bola pra essas coisas, mas olhem bem o que estava escrito sobre o meu signo, Capricórnio:

Capricórnio – Parece um pouco com Touro. Mas é mais chato. No caso, gosta de acumular suas riquezas mas sem pensar muito em usufruí-la comprando conforto, roupas bonitas, boa comida e demais prazeres taurinos. Capricorniano quer grana porque quer. E, além disso, são extremamente inseguros amorosamente, apesar de quererem passar um ar de segurança e estabilidade.

Agora, aquelas que já estiveram comigo, mesmo que um tempo, me expliquem se isso aconteceu realmente! Eu sou o cara mais inseguro amorosamente falando que eu conheço! Já vi gente bolada com sua parceira, ou parceiro, mas tudo acabava entrando nos trilhos, mas comigo a coisa sempre foi diferente, tenho um certo receio do sei lá o que que me deixa desnorteado.

Mas acho que isso ainda vai mudar um dia, tenho fé no meu Santo Antônio!

Nostalgia – Jogos de Tabuleiro

24 fev

Depois da invenção do botão o mundo mudou! Ninguém mais levantava da poltrona pra trocar de canal ou passar um tempinho no fogão fazendo uma pipoca. Esse botãozinho mudou tanto nossa maneira de viver que hoje somos uma população fora de forma e acima do peso, até nosso ritmo de vida mudou. Somos mais estressados, não temos mais tempo pra nada, e o tal botão só contribuiu pra isso.

Daqui um tempo vai ser esse aí quer irão apertar!

Botão do Pânico! Daqui um tempo vai ser esse aí quer irão apertar!

Agora, você deve estar se perguntando o porquê de tanta divagação sobre um simples botão. Eu explico.

Há poucos anos atrás, lá pelas décadas de 80 e 90, e quem foi criança e adolescente nesse tempo saberá do que estou falando, nós éramos muito mais “moleques” do que as crianças são hoje. Brincávamos na rua até tarde, vivíamos escorregando em gramados e barrancos, tomávamos da mesma água da mangueira que usávamos pra dar banho no cachorro e tudo estava bem. Nesse tempo ainda não tínhamos tantos aparelhos eletrônicos em casa como agora, no máximo uma TV comum, um estéreo e um VCR, que pra quem nunca ouviu falar são os velhos Vídeo Cassetes. Sendo assim, poucos botões pra nos tirar das brincadeiras de rua e nos colocar prostrados de frente a TV.

Nessas últimas férias tive um agradável Déjà vu sobre esse assunto. Logo que cheguei em Angra fui à casa do Cris, já esperando saber das novidades do PS2 ou dos nossos seriados, coisas que adoramos, e ao contrário do que eu imaginava não havia nada disso, e sim um monte de jogos de tabuleiro! Logo que vi já pensei, “essas férias vão ser um saco!”, mas que nada! Largamos de lado os então adorados botões e a tela da TV pra nos sentar num círculo em volta de um velho tabuleiro, marcado com os tradicionais peões coloridos que mais parecem cones com verrugas nas pontas. Havia muito tempo que não olhava pra um tabuleiro desses, como os do Jogo da Vida, Banco Imobiliário, Scotland Yard, dentre tantos outros. E as marcas então, Grow, Estrela… que saudades dos tempos em que elas faziam nossa alegria. Mas claro que os botões não nos deixaram assim tão fácil, afinal, se não fossem por eles eu não estaria aqui escrevendo esse texto num notebook sem ao menos ter um cabo de rede conectado, mas isso não vem ao caso agora.

jogos

O que importa mesmo é que há muito tempo eu não me divertia tanto! Passei dois meses em Angra e conto nos dedos a quantidade de vezes que trocamos os nostálgicos tabuleiros por novíssimos controles de XBOX 360 ou Playstations. E digo mais, não satisfeitos com a quantidade de jogos que já tínhamos compramos mais alguns, tantos outros vieram de casas de amigos onde permaneceram esquecidos em armários e debaixo de camas por tanto tempo.

Esses jogos nos fizeram lembrar tempos antigos, de quando ainda éramos crianças e não tínhamos botões em casa, e isso deu pano pra manga! Passamos noites falando sobre isso. Hoje, em qualquer casa, de qualquer cidade sempre iremos encontrar um bando de crianças que não só sabem usar um computador para jogar ou pesquisar como também têm capacidade para criar sites complexos, entendem uma montanha de comandos dos tais CS’s e Ragnaroks da vida, mas que nunca brincaram de pique na rua, não sabem o prazer de reunir os amigos pra uma partida de Queimado ou mesmo fazer uma pista de corrida na areia da praia pra ficar dando tecos com os dedos em tampas de garrafa, eu adorava uma Corrida de Tampinhas, passava horas fazendo a pista e mais horas nas tecadas, esquecia da vida, até que a mãe aparecia pra levar pra casa.

A infância das nossas crianças atualmente é baseada numa educação completamente eletrônica, tudo gira em torno de videogames e computadores, digo isso porque tenho três sobrinhos, e a mais velha adora o Orkut e o tal Buddypoke e agora está louca por um celular. Poxa, ela só tem seis anos! No meu tempo me contentava com um relógio Casio e um Pogoball! Tenho medo do que ainda vem pela frente, de como crescerão os nossos filhos e netos.

Textículo Sobre o Futebol

16 fev

Belissima jogada em jogo do Brasileirão

Belíssimo passe em jogo do Brasileirão

Já vou logo avisando, não sou chegado em futebol! Torço apenas em jogos da seleção, fora isso não tenho preferência por time nenhum. Um motivo? A grande palhaçada que é o esporte atualmente.

Nos tempos de Garrincha e Pelé o futebol era a arte que meu avô sempre me contou com emoção, de quando ouvia os jogos num velho Motobrás sintonizado numa rádio AM, eles sim faziam o verdadeiro futebol, com garra, força e vontade de vencer. Era difícil vermos um jogador “cair de dor” depois de uma falta, eles queriam mesmo é colocar a bola dentro do gol.

Tempos onde a arte era produzida com os pés

Tempos onde a arte era produzida com os pés

Hoje em dia o futebol já não é um esporte, é um grandioso negócio, disso todo mundo já sabe. Contratos milionários, vendas e empréstimos de jogadores para clubes internacionais, mega acordos de publicidade e os já conhecidos escândalos como os do Ronaldinho “Fenômeno”, adjetivo absurdo por sinal.

Mas enfim, o que eu quero mesmo dizer é o seguinte. Estava eu agora a pouco assistindo o Fantástico quando começou a matéria sobre futebol, e o que eu mais via era ator sendo desperdiçado pelo Boni nas novelas! O que tem de babaca que se joga pra tentar meter falta é absurdo, além de ridículo!!! Qualquer toque no cara e ele quase morre de dor, como se acometido por um apêndice supurado. E não é só isso, ainda existem as intermináveis brigas, dentro e fora do campo.

Show de integração torcedor/jogador

Show de integração torcedor/jogador

Ainda não entendo o porquê de tanto teatro dentro dos campos, tanta reclamação com o juiz. Alguma vez na história um juiz voltou numa decisão tomada? Eu pelo menos nunca vi. É uma enorme perda de tempo para o time, e só faz aumentar a raiva dos companheiros de gramado e de arquibancada, pois acaba se tornando um motivo para iniciar brigas entre os torcedores, que por sua vez não perdem a chance de sair no braço por qualquer coisa.

Eu penso que os torcedores são os mais idiotas nessa história, pois além de estarem espremidos na geral da “Unidos do Sovaco Suado”, têm que pagar pra entrar no estádio, assistir um jogo onde sempre acontecem dessas e não ganham nada com isso. Os jogadores já têm o deles garantido todo mês, e dane-se o resto!

Futebol foi arte, foi espetáculo, algo lindo de se ver, hoje nem sei mais como definir esse esporte.

Tô ficando velho!!!!

10 jan

aniversario_hba

É povo, tô ficando velho….

Ontem foi meu aniversário de 28 anos, pra mim uma idade meio que crítica, afinal, estou chegando perto dos 30 e ainda não realizei nada realmente grandioso, como ter um filho ou ganhar uma promoção na carreira. Ainda não casei, portanto filho não vai acontecer tão cedo, e não tenho carreira, já era minha promoção!

A vida inteira imaginei que quando chegasse aos 30 eu estaria com a vida resolvida, carreira, família, parcelas do carro, da casa e dos gadgets em dia, mas o destino não quis assim. Espero que esse ano realmente eu possa colocar minha vida nos eixos e finalmente me tornar alguém dentro das estatísticas do governo. Odeio ser um isento! (vou ter que mudar esse jargão, já que não existe tal coisa mais né)

Mas não estou aqui apenas pra reclamar das coisas que ainda não realizei. O meu Dia do Fico foi realmente muito bom, fiquei junto da minha família, pude estar perto de todos que amo, mamãe, irmã, sobrinhos pentelhos e até um primo bitolado que estamos tentando modificar um pouco. Ganhei almoço especial, roupas de presente (cadê os brinquedos???) e uma bela reunião de amigos na casa do Kiko, com direito a torta de amendoim feita pela Marcelle.

Por mais que as coisas tenham se complicado no ano passado, como por exemplo ter que morar de favor em casa de parentes, o aumento da mensalidade da faculdade e a falta de grana, tenho certeza de que Papai do Céu está sempre olhando por mim e por todos nós. Nada foi tão ruim à ponto de eu querer me matar e tudo pode ser mudado.

Agradeço pela família e pelos meus verdadeiros amigos, que sempre estão do meu lado nos momentos mais complicados e nos mais felizes!

Surpresa!!! Voltei!

23 nov

the_visitor

Acabei de assistir o filme “The Visitor”, um belíssimo filme que nos faz pensar sobre a forma como vivemos e pensamos sobre outras pessoas, principalmente os imigrantes. Este filme mostra como um homem desgostoso de sua vida adquire novos valores ao descobrir que dois imigrantes ilegais moram em seu apartamento em New York.

Quando comecei a assistir pensei que seria mais um daqueles filmes espada, chatos e longos, mas me surpreendi com o enredo, em como uma pessoa pode mudar completamente sua própria vida por outra. Hoje estou entrando nessa fase de mutação da consciência, tentando me tornar um ser humano melhor perante meus semelhantes, sempre que tenho condições faço o que está ao meu alcance pelos outros, sem nunca pensar em receber algo em troca.

Enfim, sem mais delongas, parei apenas para dizer que gostei do filme e que mais uma vez algo me ajudou a ver a vida com outros olhos. Um ótimo filme, indico à todos.

PS – E pra dizer que estou voltando ao blog, estava com saudades de vocês!

Errei, sou apenas um ser humano…

24 ago

As coisas sempre acontecem da forma mais inexperada nessa vida

Há algum tempo atrás eu entrei numa relação amorosa meio que inesperada, e isso nunca andou bem.

Ainda naquele tempo tudo ruiu, da pior forma possível, e eu, no alto da minha convardia, omiti alguns fatos cruciais para o desenrolar da história. Não vou contar detalhes aqui, mas quem acompanhou sabe do que eu falo.

O fato é que, mesmo depois de tanto tempo isso ainda me assombra, achei que isso ficaria no passado, mas, lêdo engano… nenhuma ação fica sem sua reação, e dessa vez eu mereci.

À você, meu mais sincero pedido de perdão.