Arquivo | Série Muro das Lamentações RSS feed for this section

Injustiça

22 mar

Então povo! Fiquei sumido né… mas to tentando voltar e postar muito mais!

Hoje começo dizendo que me sinto injustiçado, e o pior, dentro de casa. Vou explicar.

Meu avô chegou em casa no sábado com um Blackberry Bold, aparelho totalmente corporativo, ótimo pra quem trabalha com muitos clientes, contatos, tem que enviar e editar arquivos, enfim, pra mim que sou publicitário e trabalho em agência seria um pequeno milagre tecnológico. Mas eis que quem recebe o tal gadget é meu primo, DE 14 ANOS!!!! Pensem junto comigo, o que um adolescente de 14 anos faria com um aparelho desse porte além de tirar onda com os amigos? A mãe dele não deixa nem ele levar um MP3 pra rua, o que dirá um aparelho desse porte. Fora que na escola dele é proibido levar qualquer tipo de gadget!

Pra piorar, tentei fazer com que trocasse comigo por alguma coisa, vendesse, falei, falei, falei e morri na praia. É muita injustiça mesmo, que Deus me perdoe, mas eu merecia muito mais ter recebido esse aparelho e tenho dito!

Anúncios

Post de um bêbado puto da vida

19 fev

É gente, essas coisas acontecem. Hoje eu passei um dia muito agradável no apartamento de uma tia, pessoa que deu certo na vida, sempre teve os melhores carros, as melhores comidas, decoração, enfim, é uma pessoa que eu amo, e nada disso importa! O fato é que eu sempre me senti muito bem recebido em sua casa, e hoje não foi diferente.

Logo após fui pra faculdade cumprir meu dever de universitário sonhador. Assisti minha aula de Marketing, desci e fui pro bar com o povo, afinal, quarta feira é dia de Gole. Como de costume todos estavam por lá, inclusive os calouros desse ano, então você que está lendo isso já imagina que foi aquela brincadeira de “calouro paga a cerveja”, coisa normal em toda faculdade.

Bem, a noite foi passando e o povo debandando, apenas alguns gatos pingados sobraram em frente ao bar que já fechava, e foi quando eu descobri que um desses calouros era “filho do dono de uma chácara que minha tia anteriormente citada comprou”, ou seja, mais um playboy. O fato é que no decorrer do papo eu disse que iria fazer uma festa da faculdade na tal chácara, e foi quando o calouro começou a tirar uma certa onda comigo, mesmo eu dizendo que o lugar não é meu, que é da minha tia. Enfim, nos reunimos pra ir embora. Enquanto descíamos em direção ao estacionamento eu disse que a casa apresentava alguns problemas e brinquei com o fato de os móveis serem horríveis (verdade, são mesmo!) e o dito cujo começou a me mandar umas do tipo “é feio, mas você tem dinheiro pra comprar?”. Levei na brincadeira, normal, mas ele emendou quando eu falei que a porteira estava com defeito: “Tá, ela não fecha, mas desde quando você pôde ter algo assim?, ou, “É feio, mas você nunca vai poder comprar uma igual”.

Aquilo foi me tirando do sério, e quem me conhece sabe como fico em ocasiões como essa. Desatei a falar merda. Ah! E pra completar, um outro calouro começou a ser irônico comigo porque ele fez ESPM, tudo bem, sempre foi meu sonho, mas fazemos o que podemos né. De início comecei a tirar ele, mas logo melhorou o teor do papo, mas mesmo assim, depois deles pedirem desculpa e dizer se tratar de uma brincadeira isso não me desceu. Voltei pra casa puto, sozinho e humilhado, e claro, quem está lendo isso agora não deve estar entendendo nada, estou bêbado e chateado, mas é a vida né, uns tem mais do que os outros, e quem não tem nada escuta merda e tem que ficar calado a maior parte do tempo.

PS- hoje não tem imagem, não tem formatação e nem revisão. Estou puto com a vida e bêbado demais pra fazer isso! Mas mesmo assim eu sei que vocês me perdoam!

Continuar? Será?

20 jan

loss of time

Galera, hoje me peguei pensando numa coisa, pra que ter um blog se ninguém lê??? Pra que perder meu tempo desenvolvendo textos legais, procurar por imagens interessantes e que casem bem com tais textos se não vai ter ninguém pra ler essa porcaria?

Quando comecei a escrever aqui foi super empolgante, conheci muita gente interessante e parecida comigo, todos os dias tinha coisa pra postar, às vezes mais de uma por dia. Mas o tempo foi passando, passando… o blog ficou um bom período esquecido por mim, tudo bem que minha vida estava uma correria, coisa de doido, e quando retomei vim com força total! Mas agora, sei lá, acho que estou apenas perdendo meu tempo….

Pode ser que pense assim apenas hoje, alguns dias talvez, mas nesse exato momento é o que penso, completa perda de tempo….

Detalhe, passei mais tempo procurando uma imagem e editando do que escrevendo, no fim das contas foi tudo uma grande perda de tempo.

Tô ficando velho!!!!

10 jan

aniversario_hba

É povo, tô ficando velho….

Ontem foi meu aniversário de 28 anos, pra mim uma idade meio que crítica, afinal, estou chegando perto dos 30 e ainda não realizei nada realmente grandioso, como ter um filho ou ganhar uma promoção na carreira. Ainda não casei, portanto filho não vai acontecer tão cedo, e não tenho carreira, já era minha promoção!

A vida inteira imaginei que quando chegasse aos 30 eu estaria com a vida resolvida, carreira, família, parcelas do carro, da casa e dos gadgets em dia, mas o destino não quis assim. Espero que esse ano realmente eu possa colocar minha vida nos eixos e finalmente me tornar alguém dentro das estatísticas do governo. Odeio ser um isento! (vou ter que mudar esse jargão, já que não existe tal coisa mais né)

Mas não estou aqui apenas pra reclamar das coisas que ainda não realizei. O meu Dia do Fico foi realmente muito bom, fiquei junto da minha família, pude estar perto de todos que amo, mamãe, irmã, sobrinhos pentelhos e até um primo bitolado que estamos tentando modificar um pouco. Ganhei almoço especial, roupas de presente (cadê os brinquedos???) e uma bela reunião de amigos na casa do Kiko, com direito a torta de amendoim feita pela Marcelle.

Por mais que as coisas tenham se complicado no ano passado, como por exemplo ter que morar de favor em casa de parentes, o aumento da mensalidade da faculdade e a falta de grana, tenho certeza de que Papai do Céu está sempre olhando por mim e por todos nós. Nada foi tão ruim à ponto de eu querer me matar e tudo pode ser mudado.

Agradeço pela família e pelos meus verdadeiros amigos, que sempre estão do meu lado nos momentos mais complicados e nos mais felizes!

Errei, sou apenas um ser humano…

24 ago

As coisas sempre acontecem da forma mais inexperada nessa vida

Há algum tempo atrás eu entrei numa relação amorosa meio que inesperada, e isso nunca andou bem.

Ainda naquele tempo tudo ruiu, da pior forma possível, e eu, no alto da minha convardia, omiti alguns fatos cruciais para o desenrolar da história. Não vou contar detalhes aqui, mas quem acompanhou sabe do que eu falo.

O fato é que, mesmo depois de tanto tempo isso ainda me assombra, achei que isso ficaria no passado, mas, lêdo engano… nenhuma ação fica sem sua reação, e dessa vez eu mereci.

À você, meu mais sincero pedido de perdão.

Frustração

20 maio

Porque? Essa é a pergunta que não quer calar! Uma simples palavra que não consigo encontrar o significado. Porque uma pessoa numa determinada época tem tudo pra sobreviver, tem um bom emprego, com um bom salário, condições de ter uma qualidade de vida boa sem se preocupar se vai ter dinheiro pra pagar as contas no fim do mês, e depois de algum tempo não tem mais nada.

Assim é minha vida atual, não saber como será o fim do mês, quando todas as contas estarão atrasadas e eu não faço idéia de como fazer pra pagá-las. Hoje moro de favor na casa de parentes em outra cidade que nãol a minha pra poder estudar, devo satisfações de tudo o que faço ou deixo de fazer. Ao menos ainda estou na faculdade, tentando me transformar em alguém melhor. Era tão bom quando tinha minha própria casa em Angra, minha privacidade e meu espaço, mas isso agora é coisa do passado. Agora o que realmente preciso é trabalhar, em qualquer lugar recebendo qualquer salário. Não suporto mais essa interrogação que paira sobre minha cabeça, me fazendo entristecer a cada dia que passa, me tornando uma pessoa que nunca fui, negativa e deprimida. Todos os dias eu saio em busca de um trabalho, de um emprego, de um bico e não acho nada, parece que as portas que antes estavam escancaradas se fecharam ao mesmo tempo.

Há algum tempo estava decidido de sair da casa onde estou, poder ter meu canto novamente, e realmente havia condições, sendo assim procurei por um ligar barato pra morar, mas nada aparecia, e agora que encontrei já não há mais condições de colocar em prática, não sem um salário no fim do mês, um estágio que seja. Não sei, pode ser que eu mesmo esteja criando essas situações, pode ser que o fato de eu estar tão sem expectativa me faça cegar diante das oportunidades, mesmo que eu saia em busca delas todos os dias, mas o fato é: porque? Só queria saber essa resposta.

Milagres

10 abr

A razão do meu viver, Maria Luisa, Fernanda e Mateus.

Maria Luisa, Fernanda e Mateus. Sem vocês eu não vivo!

Todos estavam agitados e nervosos quando a vimos passar na maca, já meio dopada e cercada de médicos. Aquela cena me deixou ainda mais nervoso, mas sabia que tudo ia dar certo. Eu, tenso como estava matei quase meio maço de cigarros em menos de uma hora. Foi quando ouvi aquele som, o som do milagre da vida, o som de que Deus realmente existe e só faz coisas maravilhosas, e foi nesse momento que um dos médicos nos disse que já poderíamos olhar pela grande vidraça, e a primeira coisa que eu vi foram aqueles lindos pezinhos soltos no ar, pequenas mãozinhas rosadas e um chorinho delicioso. Eu e meu pai estávamos juntos, e não conseguíamos segurar a emoção. Não havia como não derramar algumas lágrimas, simplesmente não havia como, era a coisa mais linda que eu já tinha visto em toda minha vida, e agradecia a Deus o tempo todo por nos ter possibilitado esse milagre.

Este foi o nascimento da minha primeira sobrina, Maria Luisa, mas parecia ser o dia do nascimento do meu filho, e ter minha prole é o que mais quero nessa vida, não vejo a hora de poder dar continuidade a essa parte da vida, de poder acompanhar toda a gravidez, de acordar no meio da noite com ela sentindo contrações e correr para o hospital, de mais uma vez ficar quase louco de preocupação no saguão e chorar mais uma vez quando olhar para aqueles dedinhos rosados. Às vezes fico pensando e realmente não sei se realmente passarei por isso, não sei se pela idade, apesar de ter ainda 27 anos, ou por não ser casado ainda, realmente não sei muita coisa da minha vida e nem do meu futuro, mas espero que o meu momento de ser pai ainda aconteça nesta encarnação.

Mateus, eu não me esqueci de você meu sobrinho, é claro que passamos pelo mesmo no dia do seu nascimento, a emoção sempre é igual!